Produtores do Tocantins exportaram 2.151 bois vivos em 2017

Modalidade de comércio reapareceu no Estado após cinco anos; em dinheiro, operações renderam R$ 4,39 milhões. O maior comprador de gado vivo tocantinense foi o Iraque, com 855 animais.


DANIEL MACHADO
DE ARAGUATINS (TO)

Retomada após cinco anos sem qualquer registro, a venda de gado bovino vivo do Tocantins ao exterior já rendeu dividendos de US$ 1,39 milhão ao Tocantins em 2017. Em reais, o valor foi de R$ 4,39 milhões, montante pago por 2.151 animais do Estado. Os dados se referem ao período de janeiro a setembro deste ano e foram consultados pelo Norte Agropecuário no sistema Alice Web, maior portal com informações oficiais sobre transações comerciais do Mercosul. No Brasil, o sistema é administrado pelo Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços.

O maior comprador de gado vivo tocantinense foi o Iraque, com 855 animais. Os iraquianos pagaram ao produtor (ou produtores) tocantinense (s) a quantia de US$ 603 mil. Os animais pesaram 324,7 mil quilos.

Em valores, o segundo maior comprador foi a Jordânia, com US$ 421,67 mil, pagos por 602 animais, que pesaram 223,6 mil quilos. O Egito comprou 623 bovinos vivo do Estado. No entanto, os animais custaram US$ 321,2, valor inferior ao pago pela Jordânia. Isso ocorre porque os bois comprados pelos egípcios eram muito mais magros e pesavam, ao todo, 144,5 mil quilos. A Turquia adquiriu 71 animais vivos do Estado, que custaram US$ 49,2 mil. Antes de 2017, o último registro de venda de bois vivos ao exterior do Tocantins havia sido em 2012, com 646 bois adquiridos pelo Congo.

Verifique também

Estados que formam Matopiba devem produzir 25,4 milhões de toneladas de grãos em 8,8 milhões de hectares em 10 anos

O crescimento da produção na região será de 8,6%. Já o aumento da área produzida …

X