Período chuvoso pode demorar ainda mais para começar no Tocantins; produção agrícola deverá ser prejudicada no Estado

Volume para esse ano deve ser abaixo do esperado em uma comparação média com os últimos 30 anos. E essa baixa expectativa no volume de chuvas afeta principalmente a produção agrícola, como os plantios da soja e do milho safrinha, que podem ser prejudicados.


Kamila Gonçalves
DE PALMAS

O período chuvoso no Tocantins parece demorar cada vez mais para começar. Essa sensação é causada devido à variabilidade climática, como explica o professor e meteorologista do Núcleo Estadual de Meteorologia e Recursos Hídricos (Nemet/RH) da Universidade Estadual do Tocantins (Unitins), José Luiz Cabral.

“Cada ano é diferente, tanto em termos pluviométricos [chuvas], quanto em termos térmicos [temperatura]. Não existem anos iguais”. O pesquisador ressalta ainda que, “na nossa história climática, o início do período chuvoso geralmente varia, mais tarde ou mais cedo, mas sempre em média, a partir da segunda quinzena de outubro”.

Apesar das chuvas pontuais, que vêm caindo em todo o Estado ao longo dos últimos 15 dias, a climatologia para o trimestre de outubro, novembro e dezembro sugere que o volume para esse ano seja abaixo do esperado em uma comparação média com os últimos 30 anos. E essa baixa expectativa no volume de chuvas afeta principalmente a produção agrícola, como os plantios da soja e do milho safrinha, que podem ser prejudicados.

O meteorologista destaca ainda que, no Tocantins, a estiagem prolongada afeta principalmente a região Sudeste, devido à seca dos rios. “As chuvas foram poucas ou nenhuma na região nos últimos dias”, disse.

O pesquisador faz parte do Núcleo Estadual de Meteorologia e Recursos Hídricos (NEMET/RH), que desenvolve trabalhos de monitoramento climatológico e disponibiliza à sociedade, via internet, a previsão do tempo para os 7 dias da semana para todos os 139 municípios do Tocantins, e a previsão do clima para 3 meses de todas as regiões do Tocantins. (Da Secom)

Verifique também

Estados que formam Matopiba devem produzir 25,4 milhões de toneladas de grãos em 8,8 milhões de hectares em 10 anos

O crescimento da produção na região será de 8,6%. Já o aumento da área produzida …

X